quarta-feira, 20 de julho de 2016

Mondrian e o grupo De Stijl

Bart van der Leck



O grupo De Stijl (O Estilo) se formou com a publicação da revista homônima na Holanda em 1917. A revista expressava as teorias do artista multifacetado e poeta Theo Van Doesburg (1883-1931) e do pintor Piet Mondrian (1972-1944), que procuravam criar um fórum para arquitetos, designers e pintores que compartilhavam de uma estética abstrata semelhante.


Essa sensibilidade comum derivava de várias fontes, dentre as quais a arquitetura modernista de Frank Lloyd Wright (1867-1959), cujos influentes projetos haviam sido exibidos em uma mostra itinerante em 1910, e das superfícies planas e finas linhas pretas dos vitrais decorativos.


O De Stijl também incorporava ideias dos escritos socialistas filosóficos e utópicos e da tendência contemporânea de uma pintura não representativa. Era um grupo livre de artistas que não chegaram a conhecer um ao outro.
Piet Mondrian

O termo "Neoplasticismo" é inseparável do De Stijl, pois definia a abordagem do grupo, segundo a qual a coloração estava limitada às três cores primárias acrescidas do preto, branco e cinza, e os elementos composicionais se limitavam a linhas horizontais e verticais, bem como superfícies retangulares. Além disso, equilíbrio e harmonia - a essência do design De Stijl - não deveriam recorre à simetria. Essa regras nem sempre eram respeitadas, mas os elementos posicionais definiram um estilo que prosseguiu até muito tempo depois da saída de Mondrian do grupo em 1923.


Estilização De Stijl

Referência

FARTHING, Stephen. Tudo sobre a arte. Editora Sextante, 1950.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Crônicas para ler na escola - Zuenir Ventura



Não se esqueça de deixar um comentário.

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Análise de Olhos D'água, de Conceição Evaristo



Não se esqueça de deixar um comentário.

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Análise de Viagens na minha terra, de Almeida Garret


quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Análise de A cidade e a serra, de Eça de Queirós




quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Modernismo de 45 - Terceira geração

Neste slide apresentamos uma panorâmica da literatura e arte no Brasil de 45 até o final dos anos 50. Passamos pela literatura intimista de Clarice Lispector, o sertão poetizado de Guimarães Rosa, a poesia pedra de João Cabral de Melo Neto, concretismo, neo concretismo etc.

Segunda Geração Modernista

Segunda Geração Modernista

Apresentação de slide sobre o modernismo de 30 na prosa e na poesia.